ViaEPTV.com
Jornal A Cidade - Seu jornal. Sua cidade.
  • 0

MP vai à Justiça contra Prefeitura de Ribeirão Preto

Ação tem como base superlotação das escolas, falta de professores e uso irregular de estagiários

14/11/2013 - 23:20

Jornal A Cidade - Cristiano Pavini

Alterar o tamanho da letra A+ A A-


Milena Aurea / A Cidade
As estagiárias Priscila de Oliveira (esq.) e Luiza Maia, na apresentação das denúncias ao MPT (Foto: Milena Aurea / A Cidade)

O promotor de Cidadania, Sebastião Silveira, vai ingressar com uma ação civil pública contra a prefeitura de Ribeirão Preto por superlotação de salas, falta de professores e utilização de estagiários de forma irregular.

A decisão foi tomada nesta quinta-feira (14), após a Secretária de Educação, Débora Vendramini, não comparecer à audiência agendada para discutir o tema. O promotor pretende entrar com a ação em até dez dias.

“Está claro que a prefeitura não pretende resolver a questão de forma amigável”, afirmou o promotor, que pretendia assinar um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) para evitar que os problemas se repetissem em 2014.

Nesta quinta, Silveira colheu depoimento de três educadores. Entre elas estava Andrea Rizzi Soares, professora na Escola Municipal de Ensino Infantil Ana Gabarra.

Sua turma de maternal 1, com crianças de 2 a 3 anos, deveria ter no máximo 12 alunos. Entretanto, 15 estão matriculados.

“Quando um quer ir ao banheiro, tenho que levar todos eles juntos para que não haja problemas”, diz.

A estagiária Luiza Maia também depôs. Na semana passada, ela revelou ao A Cidade que chegou a cuidar de 180 alunos de uma vez. Na manhã desta quinta, ela foi comunicada pela diretora da escola “Professor Jarbas Massullo” de que receberá férias de 15 dias e, depois, o contrato - que venceria em 31 de dezembro, será rescindido.

O mesmo ocorreu com os demais 150 estagiários da rede de ensino. “Isso não estava previsto, avisaram de última hora. Parece que querem limpar a sujeira embaixo do tapete”, disse Luiza.

As denúncias que embasaram a ação do MP estadual também foram apresentadas ao Ministério Público do Trabalho.

Executivo diz que não há irregularidades

Em ofício protocolado nesta quarta-feira (13), no Ministério Público, a secretária de educação, Débora Vendramini, comunicou que se ausentaria da audiência por ter um “compromisso inadiável”. No documento consta que a secretária tentou fazer “inúmeras tentativas de contato telefônico” com o promotor, mas sem sucesso.

Ela se dispôs a comparecer no Ministério Público no dia 22.

Em notas enviadas anteriormente, a prefeitura negou irregularidades na contratação de estagiários.

No dia 5 de novembro, o A Cidade revelou que 79 turmas de Emeis estavam com mais alunos matriculados do que o exigido pelo Conselho Municipal de Educação. A prefeitura retrucou, dizendo que 55% das turmas estavam abaixo do limite. A prefeitura também diz que as férias dos estagiários estavam planejadas no cronograma, e que o contrato de todos eles vence em 17 de dezembro.

Mais Notícias

    Participe
    Participe AraraquaraSiga nosso TwitterCurta nossa Fan Page

    Enquete

    Cresce em Ribeirão Preto o número de negócios itinerantes, que usam carros, trailers e carretas. Em sua opinião:


    Edição Digital

    Tenha acesso a todo o conteúdo do jornal impresso.

    Edição Online

    Classificados - Jornal a Cidade

    A partir de agora você terá mais uma opção para anunciar veículos e imóveis no Jornal A Cidade

    Classificados Imóveis- Jornal a Cidade
    Classificados Carros - Jornal a Cidade