ViaEPTV.com
Jornal A Cidade - Seu jornal. Sua cidade.
  • 0

Empresário é morto em assalto

Fabiano Lino de Azevedo completaria 36 anos na terça e seguiria ontem para os Estados Unidos

05/04/2014 - 21:52

Jornal A Cidade - Daniela Penha

Alterar o tamanho da letra A+ A A-


Sérgio Masson / Especial
Familiares e amigos se despedem de Fabiano Lino de Azevedo (no destaque), que foi enterrado ontem à tarde no Bom Pastor (Foto: Sérgio Masson / Especial)

 “Ele reagiu, senão o mano não tinha atirado pra cima dele. Veio pulando na arma. O cara era grande, dona. Ubrutu”. O relato é de um adolescente de 17 anos. O “ubrutu” era o empresário Fabiano Lino de Azevedo, que completaria 36 anos nesta terça-feira e viajaria para os EUA na madrugada de hoje como comemoração. “Ele era uma pessoa ilumidada”, Shirlene descreveu, logo após enterrar o irmão.

Fabiano levou um tiro no tórax na noite de sexta-feira (4). O adolescente confessou para a polícia ser o autor dos disparos e usou a mesma justificativa dada à reportagem: “O cara era grande e reagiu”. Foram quatro tiros. “Ele morreu, é? Foi o tiro na cabeça?”, o jovem perguntou à reportagem. Apenas um dos disparos acertou Fabiano.

Ele e a noiva deixavam o escritório de informática do qual ele era dono, na rua Floriano Peixoto, Boulevard, por volta das 21h, quando dois jovens - um armado - anunciaram o assalto. A noiva de Fabiano confirmou à polícia que a vítima reagiu. A dupla levou o carro do casal - que já foi localizado -, dois mil dólares e dois notebooks. A noiva, que é enfermeira, tentou reanimar Fabiano, mas ele não resistiu.

Arquivo pessoal
Fabiano Lino de Azevedo era empresário e completaria 36 anos na próxima terça-feira (Foto: Arquivo pessoal)

Detenção
Às 16h30 deste sábado, enquanto Fabiano era enterrado, três adolescentes já haviam sido detidos pela Polícia Militar e aguardavam reconhecimento na DIG (Delegacia de Investigações Gerais). A captura aconteceu a partir de denúncia anônima. Os três estavam na residência do jovem que confessou, no Parque Ribeirão. A noiva de Fabiano o reconheceu e os outros foram liberados.

Antes de ser encaminhado ao NAI (Núcleo de Atendimento Integrado), o adolescente falou novamente com a imprensa. “Quero mandar um forte abraço para minha quebrada lá do Parque Ribeirão”, foi sua última declaração às câmeras. Ele será encaminhado para a Fundação Casa e deverá responder por latrocínio, com internação máxima de três anos.

Terceiro caso de latrocínio deste ano
O caso de Fabiano é o terceiro latrocínio registrado em Ribeirão Preto neste ano. As outras duas mortes em assaltos aconteceram em fevereiro.

No dia 1, o mototaxista Paulo Roberto Macedo Fernandes, de 28 anos, foi assassinado dentro de um motel na zona Norte de Ribeirão Preto.

Na ocasião, os bandidos assaltaram o motel e, em seguida, foram roubar o carro de Macedo, que usava uma das suítes do local.

No dia 17 de fevereiro, Marcos Roberto Gusmão Pereira, de 39 anos, foi baleado depois de reagir a um assalto à sua residência, no Jardim Centenário, zona Oeste de Ribeirão Preto.

Os dois casos foram solucionados pela Delegacia de Investigações Gerais.

Participe
Participe AraraquaraSiga nosso TwitterCurta nossa Fan Page

Edição Digital

Tenha acesso a todo o conteúdo do jornal impresso.

Edição Online